De Volta a Vida Real

Tá bom… nós sabemos que ainda estamos devendo o resumo da viagem, mas acreditem se quiserem, com tudo o que tem acontecido desde que voltamos, não conseguimos ainda parar para fazermos as contas e nem listar tudo o que precisamos. Continuamos ainda recebendo muitas perguntas, desde quanto a gente acha é o mínimo que se deve levar para gastar até qual a comida que mais gostamos.

Todas as perguntas referentes a nossas primeiras férias juntos serão respondidas. Então aproveite, se quiser saber alguma coisa, ainda dá tempo pra perguntar!

Mas voltando a vida real, além de toda a nossa super-ultra-mega-complicada rotina, que nos esforçamos enormemente em manter, ainda retomamos o nosso maior projeto: a contrução da nossa linda casa (linda pelo menos pra gente), que na verdade é a razão principal da existência desse blog.

Então, sem mais delongas…

Começamos a obra tem algum tempo e desde então, apesar de certos contratempos (leia-se arquiteto mais que enrolado), estamos seguindo em frente na velocidade de uma tartaruga.

O nosso terreno é bem pequeno, e muitas pessoas chegaram a duvidar se seria possível construirmos alguma coisa em um tamanho confortável ali. Com a ajuda de nosso arquiteto – O Enrolado, que é muito bom projetista, encaramos o desafio de frente e o resultado é o projeto de uma casa com tudo o que queremos e mais do que precisamos.

 Terreno

 

A decisão por um terreno pequeno baseou-se basicamente em duas razões:

– O alto valor $$$$$  dos imóveis na região onde moramos, especialmente se optar por morar em um bairro mais tranquilo, com boas casas e bem localizado.

– Um estilo de vida muito corrido que não nos permite gastar muito tempo cuidando de casa: limpeza, manutenção e conservação. Então pra que um terreno enorme se podemos e precisamos de uma casa pequena?!

A obra começou com a demarcação do terreno e a escavação, pois o terreno não lembra nenhum campo de futebol, não só em tamanho como em formato. De plano ele não tem nada. A escavação então começou pelo muro de arrimo, para que depois os outros pontos fossem cavados: cisterna, fossa e sapatas.

Escavação Muro

Essa parte aí de cima é a divisa do nosso terreno com a vizinha… veja só o quanto vamos ter que subir o muro e aterrar!

Depois vem a parte da escavação dos locais onde vão ficar as sapatas, a cisterna e a fossa.

E junto com todo esse trabalho de tatu, começou-se a encher as sapatas, fazer a base e construir o muro de arrimo.

Muro de contenção vista I

Muro de contenção vista I

 Muro de Contenção Vista 2 

Depois do muro, foram feitas as sapatas, a fossa e a cisterna.

Sapata

Sapata

 Na foto debaixo dá pra ter idéia da largura do terreno.

Largura do Terreno

Largura do Terreno

Altura do muro em relação a vizinha

Altura do muro em relação a vizinha

Fossa e filtro

Fossa e filtro

Local onde vai ser a cisterna

Local onde vai ser a cisterna

Essa parte é muito complicada, porque você não sente que a obra está andando, e como o material se resume praticamente a cimento e ferragem, gasta-se tanto…

Só a parte de abrir os buracos levou quase uma eternidade. Mas a obra andou. E quer saber a parte boa? Você não vai precisar esperar tanto tempo quanto a gente para ver a obra andando.

Não perca o próximo capítulo dessa nossa mais nova aventura: Construindo um Sonho!

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s