Longas 10 Horas de Trabalho

E chegou final de semana…
E o tempo deu uma trégua…
E decidimos que era hora de começar a mexer na calçada…
E família inteira colocou a mão na massa…

Bem, quase todos…rsrsrs

O fato é que começamos finalmente a mexer no quintal. Note que o portão está com a primeira demão de tinta… E na frente dele Namorido começou a colocar as pedras. Ele fez essa parte no sábado.

Por enquanto está assim esse pedaço. Ainda estamos nos decidindo entre grama ou pedra pro meio. Vamos amadurecer um pouco mais a ideia, mas de qualquer forma não sabemos se conseguiremos terminar antes do final do ano…

Começamos a trabalhar na calçada logo pela manhã do domingo. Cavamos muito. Namorido cavava, eu carregava o carrinho e transportava. Sinceramente não esperávamos que saísse tanta terra dali. Daí espalhamos terra preta e composto pra grama (o passo-a-passo pra plantar a grama está aqui).

E numa coisa Pituca e eu concordamos: às vezes a gente precisava fugir do sol… kkkk

E a noite caiu e nós continuamos. Paramos por apenas 30 min pra almoçar. Mais nada.

Resolvemos seguir em frente até que toda a grama que compramos estivesse no lugar.

Mas a grama não foi suficiente pra tudo. E ficamos muito felizes por isso… senão madrugada ia ser pouco!

E além da frente do portão da garagem, ficou faltando o final da calçada perto do vizinho.

Não terminamos, ainda falta muito. Mas trabalhamos por 10h nesse projeto. Às vezes menosprezamos o tempo, e um projeto que parecia simples acaba sendo cansativo e demorado. E no final da noite, o resultado foi esse:

Ui! Não encosta em mim que eu estou ardendoooooooooooooooooooooo…  kkkkkkkk.

Então é isso, ainda não temos antes e depois porque essa parte continua em processo. Como viram todas as grades estão com a primeira demão de tinta dada e 80% da calçada concluída. Essa semana não sei se sai mais algum projeto lá em casa. Estamos quebrados, destruídos… Mas o engraçado é que ao mesmo tempo, felizes, orgulhosos… sei lá. Fazer projetos por conta própria é algo que só quem gosta sabe o sentimento de realização que dá…

E aí, já tá ficando melhor a cara do lado de fora, não está?! Nós estamos achando… E vou continuar achando dentro da minha banheira… Porque hoje é só que quero fazer… kkkkkkkkkkkkk.

PS: Querem ver como ficou? Deem uma olhadinha aqui.

Anúncios

Faça Você Mesmo: Cortina

Oi pessoal! Primeiro, gostaria de agradecer muitíssimo todos os comentários que recebemos aqui. Mais uma vez estamos atrasados nas respostas, mas é que temos trabalhado até tarde da noite, então está muito difícil conciliar… mas tenham paciência que vamos responder…

Voltando a cortina. Sou uma pessoa que nunca costurou na vida. Nunca tentei. Nunca tive interesse. E achei que nunca seria capaz de pregar um botão (bem, na verdade ainda não prego…hehehe). Por isso, quando comecei a fazer a cortina lá da escada, eu resolvi usar cola. É verdade… não tenho vergonha… Atire a primeira pedra quem nunca ficou desesperada na vida… kkkk.

Então resolvi mostrar o processo criativo inteiro, incluindo o vexame da cola. Vamos ao passo a passo?

Primeiro, olhem a quanto tempo eu comecei com esse negócio: ainda tinha entulho onde hoje tem o deck. E o sofá ainda era o de 15ª mão, e a sala ainda era branca… kkkkkkkkkk.

Na roça onde moro não tem entretela em tamanho menor, então comprei um rolo tamanho padrão e cortei na largura que queria, cerca de 8cm.

Pra colar a entretela é fácil. A primeira parte você faz colocando o “lado do tecido” pra baixo e passando o ferro bem quente. Depois tire o papel que protege o adesivo. Nessa hora, não se esqueça de colocar a pontinha do tecido dobrada pra dentro, pra ela não desfiar futuramente.

Passe com o ferro novamente. Meu primeiro erro foi achar que a entretela por si só ficaria colada no tecido pra sempre, depois que eu terminasse de passar. Como sou bobinha…kkkkk. É claro que não… a bicha sismava em descolar o tempo inteiro. Como resolver?

Cola pra tecido ué?! Lasquei cola em todos os pontos da cortina. Quis nem saber.  Mas adivinhe? Não ficou bom… por que só eu não sabia que isso não daria certo?! kkkkk

Depois disso, meio que abandonei o projeto. E tinha decidido que ele ficaria no final da lista de prioridades. Aí, com o passar do tempo, olha onde o sol foi bater todo dia…

Eu me rendo! Preciso urgentemente de uma cortina! Fui ver os preços: tudo muito caro e muito feio pro meu gosto (lembrem-se que moro na roça). Como o tecido ainda tava lá, pensei que não seria uma má ideia tentar costurar.

Pesquisei muito uma máquina básica (não penso em bordar com ela) e forte, pra aguentar tecidos mais grossos usados na decoração. Acabei não indo na mais famosa (Singer Fashion) pela quantidade de reclamações que li a respeito. Optei pela Janome 2008. Então em pleno domingo, sentei calmamente, li o manual da máquina…

… e comecei a fazer. Gente, simples assim! Eu estava tão nervosa no início que tava até suando…kkkkkk. Mas a máquina é super fácil de usar, o manual muito claro… ADOREI!! Mais do que aprovada!

E pra provar que fui euzinha que consegui fazer, olha essa foto horrorosa aí embaixo… (o que não fazemos por vocês?!). E como perceberam, armei o circo na cozinha/sala de estar/sala de jantar… kkkk. É que o escritório continua sendo depósito da casa, então, já viu…

E devo dizer que não fui tão mal… Uma parte não ficou como eu queria, porque estava com cola, então apenas costurei por cima e os fiapos ficaram pra fora…

Mas na outra parte onde eu ainda não tinha mexido, olha que belezinha… hehehe

E pensam que eu fiquei com medo na hora de fazer o círculo?! É claro que fiquei! Fiquei aterrorizada!!!! kkkk. Minha primeira tentativa ficou assim:

Mas melhorou um pouco no final… Ainda bem que não quero bordar com a máquina!!! kkkkkkk

Depois foi só cortar no meio dos círculos e colocar as argolas, que são de pressão.

Cortina pronta! E Namorido teve que se pendurar pra pendurar a cortina… e eu quase morri do coração mais uma vez… kkkk

Ela fechada não fica das mais bonitas, mas está protegendo meu sofá pelas manhãs. Além disso, é muito bom poder andar a vontade, sem medo de que alguém veja o que não deve… E por favor, não me digam que eu tenho que passar… eu sei! Tá na lista, item de número 490… kkkkkkk

Mas aberta, até que eu gostei. Ficou bem melhor do que eu achei que ficaria…

Então no geral deixamos aberta quando estamos em casa, e fechamos apenas para dormir ou quando saímos.

E pra não perder o costume, vamos a um antes e depois da cortina?

ANTES

DEPOIS

Só uma coisa que esqueci de falar: esse tecido eu já tinha, do meu antigo AP. Não quis comprar nada, porque não sabia se ia dar certo e na época tínhamos outras prioridades, como o deck por exemplo. Então, não podíamos nos dar ao luxo de gastar sem necessidade. No futuro, vamos trocar a cortina  por algo com mais personalidade. Mas vai ser uma das últimas coisas que faremos na casa… Ainda temos tanto por fazer…

E aí, o que acharam da experiência? Alguém aí pensando em costurar cortinas ou almofadas? Gente, acreditem em mim, se eu fui capaz, qualquer um é! Não levo o menor jeito pra essas coisas… rsrsrsrs. Ah, e como sou marinheira de primeira viagem, pessoal da costura, fiquem à vontade pra dar sugestões pra projetos futuros, porque garanto que essa é primeira de muitas…hehehehe

Faça Você Mesmo: Deck de Madeira (Grande)

Pessoal, ainda estamos tendo problemas pra comentar no blog de vocês. Dá essa mensagem de erro:

Se alguém souber o que fazer a respeito, por favor nos ajude… é muito ruim não poder comentar, ainda mais em blogs que já acompanhamos há muito tempo!

Voltando ao PAP, depois de termos mostrado aqui como fizemos os mini decks do jardim de inverno, chegou a hora de mostrarmos nossa grande aventura, ou nossa loucura, escolha a palavra que achar mais apropriado…hahaha.

Enfim, era a hora de construir o primeiro de dois decks de madeira pro jardim. Começamos pelo deck da entrada da casa, por ser o menor e o esteticamente mais importante. Vejam como fizemos:

O primeiro passo foi tirar a grama do caminho.

Depois pagamos o seu Zé (o tal do muro) pra fazer o cimentado no chão e fixar nele as madeiras onde pregaríamos o deck. O chão foi feito com uma leve inclinação (que não dá pra perceber) pra que a água escoasse pra frente da casa. Usamos parajú de 3cm x 6 cm. Essa medida é proposital, porque uma peça de madeira padrão mede 6x6cm, ou seja, apenas pedimos pra cortar no meio, o que fica mais barato. Colocamos pregos enfiados na parte debaixo para maior aderência ao concreto e elas foram assentadas com 30 cm de distância entre si.

Como podem ver, as peças tem que ficar com a parte de cima um pouco mais alta, assim o deck não terá contato direto com o chão, ficando um pouco suspenso, permitindo o encaixe perfeito e também o fluxo da água por debaixo.

Daí é cortar no tamanho desejado (o deck é sempre vendido em medidas padrão, então pode ser que não encontre exatamente do tamanho desejado, como foi o nosso caso). Acabamos usando a tico tico porque tivemos dificuldade em conseguir cortar exatamente o tamanho desejado na serra de bancada.

Leandro cortou todos durante a noite e deixou já dispostos na posição que seriam pregados. Daí na noite seguinte, enquanto ele estava no trabalho, eu passei stain na parte debaixo do deck. Resolvemos fazer isso porque acreditamos que ajudará a preservar o deck por mais tempo. Perdoem as letrinhas ali embaixo, mas é que o decote estava um pouquinho grande… hehehe. O que tem na minha mão? Vinho… porque ninguém é de ferro…rsrsrs.

Aí no dia seguinte, O Namorido começou a pregar o deck no lugar.

Só que nem tudo são flores. É claro que a herança dos diversos “especialistas” que passaram na nossa casa iria aparecer! O ferro onde o portão do carro corre é mais alto do que deveria ser, então o Leandro teve que acertar em volta pra conseguir dar o melhor acabamento possível ali.

Meu amor, quantas vezes já te falei pra usar luvas???

Não foi fácil pessoal… meu Namorido é muito persistente… deu foi marretada ali! hehehe

Como podem ver, o ferro ficou ali passando por cima. Atualmente aprendi a ser feliz mesmo vendo os defeitos da casa. Fazer o que?! Mas até que ficou mais discreto do que eu achei que ficaria… Daí foi dar o acabamento com cimento no degrau de entrada da casa.

Hora de parar de reclamar do ferro-que-deveria-ter-sido-colocado-mais-baixo-pelo-%$¨%¨&&-do-pedreiro e começar a lixar.

Pra não perder o costume… outra censura! hahaha. I que é isso no copo? Cervejinha, porque ninguém é de ferro…hahahaa!

Vamos ao detalhe da instalação: a madeira utilizada é o ipê, muito dura! Não dá pra sair batendo o prego. Primeiro fizemos os furos com a furadeira.

Pra depois instalar os pregos. Utilizamos pregos de inox sem cabeça. Esse preguinho fora da peça, usávamos sempre que o deck estava um pouco empenado. Assim, ele ficava o mais próximo possível da outra peça, enquanto pregávamos os pregos no lugar correto.

Depois que a peça estava firme no lugar, arrancávamos o prego que serviu de escora.

Depois disso foi passar o verniz. Haja coluna! hahaha. O método mais rápido: passar com o rolo grande em um pedaço, em seguida dar acabamento entre as gretas com o pincel, e passar pra outro pedaço com o rolo de novo…

Não vou fingir que não foi cansativo, porque foi, mas o acabamento ficou bom, bem diferente do que os “especialistas” faziam por aqui na nossa casa. Agora, difícil não é mesmo… basta ter paciência e disposição.

O que podemos dizer? Amamos o resultado e como isso nos ajuda a manter a casa limpa!!

E aí, estamos aprovados como carpinteiros? Quem se animou a fazer um em casa também?

PS: Quer ver o outro deck que fizemos? Esse sim é grande… clique aqui.

Nosso Jardim de Inverno

E quem quer ver o jardim de inverno??? Muitas mãos por aí? Só espero que não estejam esperando nada do outro mundo… rs.

Bom, se existe uma coisa que não é segredo por aqui é que Leandro e eu gostamos de não-gastar-dinheiro-desnecessariamente. Então, queríamos colocar eucalipto no jardim, mas o que vinha cortadinho custava R$15,00 cada um. O quê??????????????? N-U-N-CA!!!

Solução? Pegar um dos eucaliptos comprados pra fazer uma obra na casa (que mostraremos em breve) e cortar! Muito mais barato… zero de custo…hehehe

Depois levamos os pedaços e começamos a colocar no lugar.

OK, colar no lugar é a plavra certa… alguém quer adivinhar com o que??? Ah???

Hahaha… isso mesmo, silicone! Meu avô vida inteira consertou as coisas com Durepox. Leandro e eu fazemos quase tudo com silicone! Depois de seco (o que é mega rápido) só depejar a terra.

Agora, plantar as orquídeas. Tem um passo depois desse, que esquecemos de fotografar… por cima da terra colocamos lascas de madeira preta. As próximas fotos são de longe, então talvez não dê pra perceber, mas quem vai lá em casa vê…

Depois, espalhamos as bolinhas de argila que compramos e colocamos os decks, que você viu aqui como fazer, no lugar.

Mais pro centro do jardim, colocamos um vaso com uma pata de elefante.

Ao fundo, colocamos uma luminária que compramos em Ilhéus, durante nossa viagem pelo nordeste. Amamos ter em casas objetos que nos trazem lembranças de momentos felizes…

O fio da luminária que você verá na maioria das fotos vai sumir em breve. Faremos uma extensão, passaremos o fio por baixo das pedras, e poderemos acender a luz em um botão escondido no início da escada.

Em alguns cantinhos, plantamos essas folhinas roxas, que não lembro de jeito nenhum o nome…rsrsrs

Ah, e a vara de ferro lá atrás já não existe mais… rsrsrs. Naquela parede que você aos fundos, faremos um jardim vertical, mas isso ainda deve demorar um bom tempo…

E quem quer ver o jardim a noite??? Ninguém… ahhhh… vou mostrar mesmo assim… hehehe

Tirei sem flash,

… com flash…

 … sem as luzes da escada acesas…

… com as luzes acesas…

 

… e finalmente com a última aquisição em cima do rack… rsrsrs

E pra finalizar, vamos um antes e depois do espaço???

ANTES:

DEPOIS:

E aí, beeeem melhor do que antes, não acham?!

OBS: Nosso piso nessa área é desnivelado e tem um ralo. A parte da terra que entraria em contato com a parede, está apioada no rodapé Santa Luzia, que é uma espécie de plástico, portanto, não estraga. As plantas estão lá há algumas semanas e até agora felizes e saudáveis. Mas enfim, vamos monitorar e ver se com o tempo tudo continua no lugar… rs.